Efeitos da hipercapnia permissiva em modelo experimental de S.D.R.A

Efeitos da hipercapnia permissiva em modelo experimental de S.D.R.A

Autor Rodriguez Lopez, Domingo Vicente Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Lopes, Oswaldo Ubríaco Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A hipercapnia permissiva pode ser definida como a deliberada limitacao da ventilacao mecanica, permitindo o aumento dos niveis de PaCO2. O valor do uso da hipercapnia permissiva como estrategia alternativa na ventilacao mecanica de pacientes portadores de diversas pneumopatias vem sendo recentemente reconhecido com o acumulo de evidencias sobre a presenca de severas lesoes pulmonares causadas pela hiperdistensao pulmonar, secundarias ao uso de altos valores de volume corrente acompanhados de elevados niveis pressoricos nas vias aereas. Utilizou-se no presente estudo um modelo experimental onde dez caes foram submetidos a lesao pulmonar aguda atraves de injecoes endovenosas de acido oleico, cujas alteracoes fisiopatologicas em muito se assemelham a Sindrome de Desconforto Respiratorio Agudo (SDRA), uma das situacoes em que mais se tem utilizado a hipercapnia permissiva como alternativa ventilatoria. Os resultados encontrados durante a fase de injuria pulmonar aguda demonstraram acentuada queda na PO2 arterial, elevacao na resistencia vascular sistemica e pulmonar com importante depressao na funcao cardiaca. Na seguinte fase, tres diferentes niveis de hipercapnia permissiva foram aplicados com reducao do volume minuto atraves da diminuicao da frequencia respiratoria. Foi observada melhora da funcao cardiaca, queda na resistencia vascular sistemica e aumento na resistencia vascular pulmonar. Houve tambem elevacao do indice de oferta e consumo de oxigenio refletindo a elevacao do debito cardiaco. Estas mudancas encontradas foram dependentes dos niveis de hipercapnia permissiva que foram aplicados, sendo mais acentuadas quanto mais elevados os niveis de PCO2 arterial e de acidose respiratoria. Na terceira fase deste estudo administrou-se uma solucao hipertonica de bicarbonato de sodio a 8,4% durante a etapa de hipercapnia acentuada, correspondente a niveis de PCO2 arterial entre 81 e 100 mm Hg. Estabelecendo-se como meta a elevacao do pH ate valores proximos de 7,2. Foram necessarias altas doses de bicarbonato de sodio em media 23,24  2,98 ml/Kg administrada em um periodo medio de 94  12 minutos. A elevacao do pH foi acompanhada de importante incremento dos niveis de PaCO2 de 93,67  5,51 para 190,68  29,08 mmHg relacionada com o aumento na producao do CO2 nao organico associada a sua deficiente remocao, devido a hipoventilacao alveolar. Houve incremento dos parametros relacionados a funcao cardiaca e reducao na resistencia vascular sistemica e pulmonar com piora significativa da oxigenacao
Palavra-chave Hipercapnia
Síndrome do desconforto respiratório do recém-nascido
Bicarbonato de sódio
Respiração artificial
Acidose respiratória
Idioma Português
Data de publicação 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 170 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 170 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15388

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta