Linfonodo sentinela em melanoma de criança: relato de caso

Linfonodo sentinela em melanoma de criança: relato de caso

Título alternativo Sentinel lymph node in children with melanoma: case report
Autor Oliveira Filho, Renato Santos de Autor UNIFESP Google Scholar
Paiva, Geruza Rezende Google Scholar
Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Alves, Marcos Chaves de Arruda Autor UNIFESP Google Scholar
Santos, Ivan Dunshee de Abranches Oliveira Autor UNIFESP Google Scholar
Enokihara, Mílvia Maria Simões e Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objective: to present a case of a child who was subjected to sentinel lymph node biopsy for cutaneous melanoma. Description: a 12 year-old child with Dysplastic Nevus Syndrome developed melanoma on the lumbar region. The excision biopsy revealed a melanoma with depth of 1.5 mm. The patient was submitted to amplification of the margins 2 cm in all directions and the sentinel node was also excised. The histopathological exam did not show residual disease. Sentinel on exam did not show metastases either under hematoxylin-eosin stain or immunohistochemistry (S-100 and HMB45). Therefore, RT-PCR for tyrosinase mRNA was positive. The patient has been followed for twelve months without evidence of recurrence. Comments: childhood melanoma is rare, corresponding to less than 1% of malignant tumors in children. Data point to a worldwide increase in its incidence. Melanoma occurs in melanocytic lesions in 70% and in the remaining 30% it occurs de novo. Melanoma is very aggressive, so the survival depends on an early diagnosis. Sentinel lymph node biopsy has selected patients to complete lymphadenectomy. Some authors have been using this technique in childhood melanoma.

Objetivo: apresentar um caso de melanoma cutâneo na infância, submetido à biópsia de linfonodo sentinela. Descrição: criança de 12 anos de idade, portadora da síndrome do nevo displásico, desenvolveu melanoma em dorso. A biópsia excisional revelou melanoma (Breslow = 1,5 mm), sendo submetida a tratamento cirúrgico da lesão, com ampliação de margem de 2cm e biópsia de linfonodo sentinela. O exame anatomopatológico não mostrou doença residual. O exame do linfonodo sentinela não mostrou metástases ao exame histopatológico por hematoxilina eosina, nem à imunohistoquímica (S100 e HMB45). No entanto, a pesquisa de RNA mensageiro da tirosinase por RT-PCR se mostrou positiva. A paciente não mostrou sinais de metástase ou recidiva local nestes doze meses iniciais de seguimento. Comentários: o melanoma é raro em crianças, corresponde a menos de 1% dos tumores da infância. Inúmeros trabalhos mostram o aumento da incidência mundial do melanoma. Em cerca de 70%, se originam de nevos melanocíticos pré-existentes, e nos 30% restantes, eles surgem de novo. Dada a agressividade do melanoma, a sobrevida depende do diagnóstico precoce. A biópsia do linfonodo sentinela tem contribuído na decisão de se realizar ou não a linfadenectomia completa, e alguns autores já estão utilizando a mesma em crianças.
Assunto sentinel lymph node
melanoma
children
linfonodo sentinela
melanoma
criança
Idioma Português
Data 2002-10-01
Publicado em Jornal de Pediatria. Sociedade Brasileira de Pediatria, v. 78, n. 5, p. 429-432, 2002.
ISSN 0021-7557 (Sherpa/Romeo)
Editor Sociedade Brasileira de Pediatria
Extensão 429-432
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572002000500015
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0021-75572002000500015 (estatísticas na SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1538

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: S0021-75572002000500015.pdf
Tamanho: 256.8Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)