O exame do escarro como instrumento responsivo e adequado para investigar o efeito de drogas na inflamacao das vias aereas

O exame do escarro como instrumento responsivo e adequado para investigar o efeito de drogas na inflamacao das vias aereas

Autor Pizzichini, Marcia Margaret Menezes Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Nos investigamos, em tres estudos, a responsividade das celulas e dos marcadores soluveis no escarro, as intervencoes clinicas. No primeiro estudo, 8 adultos atopicos portadores de asma leve e estavel, tratados apenas com β2-agonistas de curta duracao quando necessario, foram sequencialmente submetidos a dois testes de inalacao-controle 30 minutos apos a inalacao de placebo ou salmeterol (50μg), administrados com o paciente cego ao procedimentos e, a tres testes de inalacao de alergeno 30 minutos apos a inalacao de placebo, salmeterol ou beclometasona (500 μg) dados em ordem aleatoria e de forma duplo-cega. No segundo estudo nos examinamos se a inalacao de solucao salina hipertonica para induzir escarro poderia alterar celulas e marcadores soluveis no escarro de 23 asmaticos capazes de produzi-lo espontaneamente seguido pela inducao de escarro no mesmo dia. No terceiro estudo, nos examinamos a cinetica dos sintomas, volume expiratorio forcado em um segundo (VEF1) e as alteracoes inflamatorias das vias aereas no escarro e sangue de asmaticos com exacerbacao grave da doenca entre a apresentacao e apos 1, 2, 3, 7 e 21 dias de tratamento com prednisona 30 mg/dia/5 dias decrescido a zero ate o dia 10. Todas as medidas no escarro e no sangue foram executadas cegas aos procedimentos clinicos. Estudo 1: Os tres testes de inalacao de alergeno, mas nao os dois testes controle, produziram um aumento significativo na proporcao de eosinofilos no escarro. Salmeterol inalado antes do alergeno preveniu completamente a reacao asmatica imediata (RAI), a resposta asmatica tardia (RAT) e a queda no PC20 da metacolina as 24 horas alem de produzir bronchodilatacao adicional. Estes efeitos foram similares aqueles obtidos pela inalacao de uma unica dose de salmeterol antes da inalacao do teste controle e significativamente melhor do que aqueles observados apos dose unica de beclometasona inalada antes do alergeno. Beclometasona nao teve efeito na RAI ou na queda do PC20 da metacolina 24 horas apos, mas inibiu parcialmente a RAT. Salmeterol ou beclometasona nao tiveram efeito significante sobre os marcadores da inflamacao no escarro ou sangue, apos a inalacao de alergeno. Em conclusao, o escarro foi responsivo as mudancas induzidas pela inalacao de alergeno, mas nao demonstrou qualquer efeito antiinflamatorio de uma unica dose de salmeterol ou beclometasona. Estudo 2: O escarro induzido teve maiores proporcoes de celulas viaveis, menos celulas escamosas, citospins de melhor qualidade e concentracoes menores de ECP e de fibrinogenio. O escarro induzido foi similar ao espontaneo em peso, numero total de celulas, proporcao de celulas nao escamosas e niveis de triptase. A concordancia entre as medidas realizadas nos escarros induzido e espontaneo foi boa, mas os niveis dos marcadores soluveis foram afetados pela baixa viabilidade de algumas amostras de escarro espontaneo. Em suma, para os indices medidos em asmaticos, o escarro induzido separado da saliva e similar as secrecoes do trato respiratorio inferior expectoradas espontaneamente. Estudo 3: Os achados anormais no escarro destes asmaticos incluiram baixa viabilidade celular, eosinofilia, muitos granulos livres de eosinofilos e concentracoes aumentadas de ECP, fibrinogenio e IL-5. Os eosinofilos e ECP no sangue periferico aumentaram. Apos tratamento, sintomas, VEF1, eosinofilia e ECP no sangue melhoram dentro de 24 horas. Os eosinofilos no escarro e a ECP nao melhoraram ate 48 horas e o fibrinogenio, ate 7 dias. A melhora da eosinofilia e da ECP no escarro se correlacionou com a melhora no VEF1 e IL-5 e isto demonstra a validade longitudinal do metodo. A melhora dos parametros clinicos e sanguineos precedeu a reducao dos indices no escarro indicando que este e um melhor guia para seguir, nestes pacientes, os efeitos do tratamento
Palavra-chave Escarro
Inflamação
Asma
Idioma Português
Data de publicação 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 72 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 72 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15344

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta