Habito alimentar e estado nutricional de pacientes idosos ambulatoriais, pre e pos-diagnostico de doenca pulmonar obstrutiva cronica

Habito alimentar e estado nutricional de pacientes idosos ambulatoriais, pre e pos-diagnostico de doenca pulmonar obstrutiva cronica

Autor Sachs, Anita Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Com o objetivo de caracterizar o estado nutricional e o padrao alimentar de portadores de doenca pulmonar obstrutiva cronica (DPOC) foram analisados 60 idosos do sexo masculino de diferentes graus de intensidade, acompanhados no Ambulatorio de Pneumologia e no Centro de Reabilitacao Pulmonar da Disciplina de Pneumologia do Departamento de Medicina da Universidade Federal de São Paulo/Escola Paulista de Medicina - Lar Escola Sao Francisco, em São Paulo. Na caracterizacao do estado nutricional utilizou-se o indice de massa corporea (IMC) com os pontos de corte recomendados pela Organizacao Mundial de Saúde (OMS) em 1995. Para a obtencao das informacoes do padrao alimentar empregou-se o metodo de frequencia de consumo de alimentos qualitativo e quantitativo para os periodos pre-diagnostico da DPOC e atual, respectivamente. O diagnostico da DPOC era feito por medico a partir do quadro clinico e de testes de funcao pulmonar, incluindo o volume expiratorio forcado no primeiro segundo (VEF1) e a capacidade vital forcada (CVF). Para a classificacao do grau de intensidade da doenca utilizaram-se os pontos de corte da porcentagem prevista para o VEF1, propostos pelo Consenso Brasileiro de Espirometria em 1996. Observou-se maior frequencia de pacientes com DPOC moderada (43,3%). Os resultados mostraram, para os periodos pre e pos-diagnostico da DPOC, respectivamente, 5 e 10% de desnutricao, 78,3 e 60% de eutrofia, e 16,7 e 30% de sobrepeso valores estes nao estatisticamente diferentes entre si. A eutrofia atual foi mais frequente nos pacientes com DPOC moderada e observou-se 35,3% de peso excessivo entre aqueles com DPOC leve e grave. A pratica alimentar no periodo anterior ao diagnostico da DPOC mostrou que as frutas, arroz, pao, feijao, leite, carne de boi, oleo de soja e gorduras animais faziam parte do padrao alimentar. Para o periodo atual, comparando-se ao anterior, verificou-se aumento do numero de pacientes consumindo suco de frutas, arroz, pao, frango, leite e refrigerante, e reducao daqueles fazendo uso diario do feijao, carnes, cafe com acucar, bebidas alcoolicas e gorduras de origem animal. A media de inGestão calorica foi de 2217 kcal e a contribuicao dos macronutrientes para o valor calorico total foi de 14,5% de proteinas, 30,3% de gorduras e 55,2% de carboidratos. Observou-se adequacao de inGestão de calorias, proteina, gordura e carboidrato, alem de associacao significante (p = 0,04) entre intensidade da doenca e adequacao calorica. A maior porcentagem de pacientes com DPOC leve apresentou inGestão excessiva de calorias; os de grau moderado, insuficiente; e os graves, inGestão adequada. Nao se observou inGestão insuficiente de gordura e nem inGestão excessiva de carboidratos nos pacientes dos diferentes graus de intensidade da DPOC. A dieta atualmente utilizada por esse grupo apresenta distribuicao de macronutrientes que esta de acordo com as recomendacoes atuais para portadores de DPOC
Palavra-chave Hábitos Alimentares
Estado Nutricional
Pneumopatias Obstrutivas
Idioma Português
Data de publicação 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 90 p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 90 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15312

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta