Avaliação da paralisia facial periférica idiopática (paralisia de Bell) pela ressonância magnética com protocolo de exame resumido

Avaliação da paralisia facial periférica idiopática (paralisia de Bell) pela ressonância magnética com protocolo de exame resumido

Autor Yamashita, Helio Kiitiro Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Lederman, Henrique Manoel Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo A ressonancia magnetica (RM) tem papel importante no diagnostico da paralisia facial periferica idiopatica ou paralisia de Bell (PFPI), ao excluir causas tumorais, infecciosas, traumaticas e outras doencas do ouvido nao-otologicas. O uso do meio de contraste paramagnetico (gadolineo) intravenoso permite definir o realce inflamatorio dos diversos segmentos do nervo facial. Na rotina, os exames sao realizados com a sequencia spin-eco em T1, nos planos axiais e coronais. Pode-se complementar o estudo do nervo facial com planos sagitais, obliquos ou o emprego de tecnicas em eco-gradiente 2D (bidimensional) ou 3D (tridimensional), dependendo do tipo de equipamento, as vezes mais onerosos e nem sempre disponiveis, podendo aumentar o tempo de exame. O presente trabalho compara o realce pelo contraste paramagnetico do nervo facial na PFPI com protocolo de exame resumido (com imagens em T1 somente no plano coronal) e com o exame de rotina (com imagens em T1 nos planos axial e coronal). Considerou-se a relacao entre o numero de segmentos do nervo facial com realce, espessamentos ganglionares e mastoideos, epoca da realizacao da RM, classificacao clinica de HOUSE e BRACKMAN, teste de Hilger, teste de Shirmer, reflexo do estapedio, evolucao e prognostico, parcialmente analisados em outros estudos com a RM. Estudamos 44 doentes com paralisia facial periferica idiopatica e 20 controles (8 voluntarios normais e 12 doentes com queixas de disturbios neurosensoriais). A leitura dos planos coronais foi realizado por tres radiologistas (A, B e C) com o metodo oduplo cegoo e avaliadas as concordancias e discordancias na leitura do plano axial por um radiologista D. A comparacao mostrou que nao houve diferencas estatisticamente significantes na avaliacao dos segmentos, quanto a ausencia ou presenca de realce (media de 93,44% de concordancia). A menor concordancia foi na analise do segmento timpanico (75%), cujo realce foi melhor visibilizado no plano axial e coronal com 31 casos com realces (48,4%), contra 15 casos com realce no plano isolado coronal (23,4%). Quanto ao numero de segmentos com realce ou espessamentos ganglionares, nao se observou relacao significante com a classificacao clinica, tempo de recuperacao da funcao do nervo facial e teste de Hilger, independente do plano analisado, apesar da alta sensibilidade (100%) e especificidade (85%) da tecnica. O espessamento do segmento ganglionar teve relacao topodiagnostica com o teste de Schirmer
Palavra-chave Paralisia de Bell/patologia
Espectroscopia de ressonância magnética/métodos
Bell palsy/pathology
Magnetic resonance spectroscopy/methods
Idioma Português
Data de publicação 1997
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1997. 118p p.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 118p p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/15276

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta