Tratamento cirúrgico das fraturas do odontóide tipo II com parafuso anterior: análise de 15 casos

Tratamento cirúrgico das fraturas do odontóide tipo II com parafuso anterior: análise de 15 casos

Título alternativo Management of odontoid fractures using anterior screw fixation: analysis of 15 cases
Autor Dantas, Fernando Luiz Rolemberg Google Scholar
Prandini, Mirto Nelso Autor UNIFESP Google Scholar
Caíres, Antonio Carlos Vieira Google Scholar
Fonseca, Gilberto De Almeida Google Scholar
Raso, Jair Leopoldo Google Scholar
Instituição Hospital Biocor Serviço de Neurocirurgia
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo A retrospective analysis of the results of 15 patients with odontoid fractures type II P and II N, according to Roy-Camille's classification is presented. They were operated on by an anterior approach and direct fixation of the odontoid process through a screw. There were 13 men and 2 women, the age ranging from 14 to 74 years. The follow up period was from 6 to 36 months (mean 20 months). There was only one complication related to the surgical technique: one screw was misplaced and it was necessary another surgery to replace it. There were no deaths in this series. There were no screw breakdown and the fusion rate was 94%. We propose, based on this study, that the classification of Roy-Camille for odontoid fractures should be always used, since it proposes one surgical approach for each type of fracture. The results of this series show that this technique is useful and has advantages over another modalities of treatment. The correct diagnosis of the type of fracture and an appropriate selection of patients are the main elements to achieve good results.

Apresentamos estudo retrospectivo dos resultados de 15 pacientes consecutivos, com fratura do odontóide tipo II P (fratura com traço oblíquo e deslocamento posterior) e II N (fratura com traço horizontal na base do odontóide), segundo a classificação de Roy-Camille , que foram submetidos a fixação anterior direta do odontóide com parafuso. A série é composta por 13 homens e 2 mulheres, com idade variando entre 14 a 74 anos e período de acompanhamento de 6 a 36 meses (média 20 meses). Tivemos apenas uma complicação relacionada com a técnica cirúrgica: um parafuso mal posicionado necessitando de uma reoperação para ser reposicionado. Não houve óbito. Não houve saída nem quebra de parafuso. Obteve-se 94% de fusão óssea. Propomos que seja utilizada a classificação de Roy-Camille na seleção dos casos cirúrgicos de fraturas do odontóide, pois ela fornece uma abordagem cirúrgica específica para cada tipo de fratura.
Palavra-chave odontoid fractures
screw fixation
cervical fusion
fraturas do odontóide
fixação com parafuso
fusão cervical
Idioma Português
Data de publicação 2002-09-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 60, n. 3B, p. 823-829, 2002.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo)
Publicador Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 823-829
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2002000500025
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-282X2002000500025 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1513

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-282X2002000500025.pdf
Tamanho: 272.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta