Infecção pelo citomegalovírus em pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS): relações clinico-virológicas e anatomopatológicas

Infecção pelo citomegalovírus em pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS): relações clinico-virológicas e anatomopatológicas

Autor Turchi, Marília Dalva Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pannuti, Cláudio Sérgio Autor UNIFESP Google Scholar
Resumo Objetivos: Avaliar o padrão do consumo de drogas e o perfil de risco para infecções de transmissão sangüínea ou sexual entre usuários de cocaína. Determinar fatores de risco, estimar a prevalência e a incidência de HIV-1, Identificar os subtipos do HIV-1, entre os usuários soropositivos. Avaliar fatores de risco e estimar a prevalência de infecções pelo vírus da Hepatite C, vírus da Hepatite B, HTLV-I/II e sífilis. Metodologia: Estudo transversal, conduzido em 839 usuários atuais de cocaína, maiores de 17 anos, recrutados em 7 unidades de tratamento para dependência química, na região metropolitana de São Paulo, entre 1997/1998. Informações sócio-demográficas, de comportamento sexual e de perfil de consumo de drogas obtidas através de entrevista estruturada. Pesquisa de anticorpos para HIV; VHC; HTLVI/II; T pallidum e VHB (HbsAg, antiHBc, antiHBs). Estimativa de incidência do HIV-1, através de dupla testagem (Janssen et al., 1998). Contagem de células T CD4 e CD8 através de citometria de fluxo. Subtipagem do HIV-1 através de HMA e seqüência de nucleotídeos. Abordagem tipo caso-controle com análise de regressão logística múltipla (SPSS for win 8.0). Resultados: Predomínio de homens (95,7 por cento), brancos (70,8 por cento), jovens (mediana de 26 anos) com antecedentes freqüentes de detenção (54,0 por cento) e de moradia na rua (24,9 por cento). Diferenças quanto a idade, época de iniciação, freqüência, intensidade, duração do uso e condições socio-econômicas dos usuários, em relação a via de administração. Variáveis indicativas de comportamento sexual não diferiram em relação a via de uso da cocaína. Predomínio de usuários atuais e pesados de crack, sendo o uso de drogas injetáveis, referido por 17,9 por cento dos participantes. Soroprevalências: VHC=14,5 por cento (IC95 por cento 12,3-17,1); VHB (anti-HBc) = 12,5 por cento (IC95 por cento 1O,4-15,0); HIV= 4,9 por cento (IC95 por cento 3,6-6,6); HTLVI/II= 3,1 por cento (IC95 por cento 2,1-4,6) e sífilis = ,3 por cento (IC95 por cento 4,8-8,2. Injetares apresentam quase 26 vezes mais chance de terem 3 ou mais infeções quando o grupo de não injetares foi considerado como referência. Usuários de cocaína soropositivos para um ou mais mercadores das seguintes infecções: VHC, HTLV I/II, VHB (anti-HBc) e sífilis, apresentaram risco estatisticamente maior de estarem coinfectados pelo HIV, mesmo após ajuste, em análise estratificada, pela via de administração da droga (UDIs versus não UDIs), ...(au).
Palavra-chave Síndrome de Imunodeficiência Adquirida
Infecções por Citomegalovirus
Acquired Immunodeficiency Syndrome
Cytomegalovirus Infections
Idioma Português
Data de publicação 1988
Publicado em São Paulo: [s.n.], 1988. 134 p. ilus.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 134 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/14913

Exibir registro completo




Arquivo

Arquivo Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta