Correlação entre a pressão de perda à manobra de Valsalva e a pressão máxima de fechamento uretral com a história clínica em mulheres com incontinência urinária de esforço

Correlação entre a pressão de perda à manobra de Valsalva e a pressão máxima de fechamento uretral com a história clínica em mulheres com incontinência urinária de esforço

Alternative title Correlation of Valsalva leak point pressure and maximal urethral closure pressure with clinical history in women with stress urinary incontinence
Author Feldner Junior, Paulo Cezar Autor UNIFESP Google Scholar
Bezerra, Leonardo Robson Pinheiro Sobreira Autor UNIFESP Google Scholar
Girão, Manoel João Batista Castello Autor UNIFESP Google Scholar
Castro, Rodrigo de Aquino Autor UNIFESP Google Scholar
Sartori, Marair Gracio Ferreira Autor UNIFESP Google Scholar
Baracat, Edmund Chada Autor UNIFESP Google Scholar
Lima, Geraldo Rodrigues de Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Abstract Purpose: to analyze the correlation between Valsalva leak point pressure and maximum urethral closure pressure and clinical symptoms in women with stress urinary incontinence. Methods: we analyzed retrospectively 164 patients with urodynamic diagnosis of stress and mixed urinary incontinence established by the Urogynecology and Vaginal Surgery Sector of UNIFESP/EPM. All patients were submmited to medical interview, physical examination and urodynamic study. Patients were divided into groups according to the subjective degree of stress urinary incontinence. Valsalva leak point pressure (VLPP) was measured with a vesical volume of 200 mL. Urethral profile was determined using a flow catheter number 8 with measurement of maximum urethral closure pressure (MUCP). Data were compared by chi², ANOVA and Tukey tests. Results: mean age was 51.2 years (19-82), 76 women (47.2%) were in menacme and 85 (52.8%) in postmenopausal status. Mean parity was 3.9 (0-18). The exact test for trend demonstrated a statistically significant (p<0.0001) correlation between the number of patients with VLPP of 60 cmH2O or less and clinical complaints. The group with severe leakage had mean VLPP of 69.1 cmH2O. The group with moderated leakage had mean VLPP of 84.6 cmH2O and the group with mild leakage had mean VLPP of 90.6 cmH2O. Conclusions: VLPP correlated with the subjective degree of stress urinary incontinence. Higher grades of stress urinary incontinence had a higher likelyhood of a low VLPP. MUCP did not correlate with clinical complaints.

Objetivo: analisar a relação entre a pressão de perda com manobra de Valsalva e a pressão máxima de fechamento uretral com a queixa clínica em mulheres com incontinência urinária de esforço. Métodos: estudo retrospectivo no qual foram incluídas 164 pacientes com diagnóstico de incontinência urinária de esforço ou mista atendidas no setor de Uroginecologia e Cirurgia Vaginal do Departamento de Ginecologia da UNIFESP/EPM. As pacientes submeteram-se à anamnese padronizada, exame físico e estudo urodinâmico. A pressão de perda foi mensurada sob manobra de Valsalva (Valsalva leak point pressure - VLPP), com volume vesical de 200 mL. O perfil uretral foi realizado utilizando-se cateter de fluxo número 8, sendo medida a pressão máxima de fechamento uretral (PMFU). As pacientes foram agrupadas conforme a queixa clínica de perda urinária aos esforços e realizou-se análise estatística por meio do teste de chi² para verificar a proporção entre as variáveis. Utilizou-se, a seguir, a análise de variância (ANOVA) para verificar diferenças entre VLPP e PMFU com relação à gravidade subjetiva da incontinência. Resultados: a média de idade foi de 51,2 anos (19-82), sendo que 79 encontravam-se no menacme (48,2%) e 85 (51,8%) na pós-menopausa. A paridade média foi de 4,0 filhos (0-18). Houve correlação entre o número de pacientes com VLPP inferior a 60 cmH2O e a queixa clínica (p<0,0001), sendo que o grupo com perda urinária aos mínimos esforços teve média de 69,1 cmH2O na pressão de perda, o grupo com perda urinária aos moderados esforços teve média de 84,6 cmH2O e o grupo com perda urinária aos grandes esforços teve média de 90,6 cmH2O. Conclusões: VLPP correlacionou-se com a queixa clínica, sendo menor no grupo com perda aos mínimos esforços. Não houve correlação entre a PMFU e a queixa clínica.
Keywords Stress urinary incontinence
Valsalva maneuvre
Urethral profile
Clinical evaluation
Incontinência urinária de esforço
Manobra de Valsava
Perfil uretral
Urodinâmica
Avaliação clínica
Language Portuguese
Date 2002-08-01
Published in Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia, v. 24, n. 7, p. 433-438, 2002.
ISSN 0100-7203 (Sherpa/Romeo)
Publisher Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Extent 433-438
Origin http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032002000700002
Access rights Open access Open Access
Type Article
SciELO ID S0100-72032002000700002 (statistics in SciELO)
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1483

Show full item record




File

Name: S0100-72032002000700002.pdf
Size: 298.7Kb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account