Estudo do efeito da colostomia proximal terminal na cicatrização de anastomoses colo-cólicas em ratos

Estudo do efeito da colostomia proximal terminal na cicatrização de anastomoses colo-cólicas em ratos

Título alternativo Effect of proximal terminal colostomy on the healing of colonic anastomosis in rats
Autor Leme, Marcelo Betim Paes Google Scholar
Matos, Delcio Autor UNIFESP Google Scholar
Fernandes, Pedro Ricardo De Oliveira Google Scholar
Serra-freire, Nicolau Maués Da Google Scholar
Instituição UniFOA
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Liga Acadêmica de Cirurgia Geral
Resumo OBJECTIVE: To evaluate the effects of the proximal-terminal colostomy on the healing of colonic anastomosis in rats. METHODS: 36 rats were allocated into two groups: control group (C) with 12 rats subjected to colonic ressectinon and primary anastomosis; colostomy group (CZ) with 24 rats subjected to the same procedure done in the group C, but complemented with a proximal-terminal colostomy. Anastomosis healing was evaluated at the 2nd and 7th post-operative days (PO) by the presence of anastomotic dehiscence and mucosal line, adhesions, bursting pressure, and histologic examination. RESULTS: There was no anastomotic dehiscence in the two groups. Adhesions were more intense in group C at the 7th PO. At both groups, the intestinal rupture was always on the anastomotic line at the 2nd PO; at the 7th PO, most of ruptures happened on the colonic zone out of the anastomotic line (100% of group C and 70% of group CZ). No significant difference was noticied in the other healing anastomotic variables. CONCLUSION: There is no difference in the healing of colonic anastomosis related to the presence or abscence of a proximal colostomy in rats.

OBJETIVO: Estudar os efeitos da colostomia proximal terminal na cicatrização de anastomoses colo-cólicas em ratos. MÉTODOS: 36 ratas foram divididas em 2 grupos: grupo controle (C) com 12 animais submetidos à ressecção cólica segmentar seguida de anastomose colo-cólica primária, e grupo colostomizado (CZ) com 24 animais submetidos ao mesmo procedimento do grupo C complementado com uma colostomia proximal. A cicatrização anastomótica foi avaliada em dois períodos distintos, 2º e 7º dias de pós-operatório (PO), em relação à deiscência anastomótica, aderências, epitelização mucosa, pressão de ruptura e variáveis histológicas. Os resultados foram submetidos a estudo estatístico considerando-se como significante valores de p<0,05. RESULTADOS: A deiscência, principal variável analisada nessa pesquisa, não ocorreu em ambos os grupos estudados. As aderências foram significantemente mais intensas no grupo C no 7º PO. Nos dois grupos, a ruptura intestinal sempre ocorreu ao nível da anastomose no 2º PO; no 7º PO, a maior parte das rupturas aconteceram na alça cólica fora da zona anastomótica (100% do grupo C e 70% do grupo CZ). A análise das demais variáveis demonstrou equivalência entre os dois grupos. CONCLUSÃO: Os resultados dessa pesquisa não demonstraram diferença significante entre anastomoses colo-cólicas em ratos associados ou não à colostomia proximal.
Palavra-chave Colostomy
Colon
Colostomia
Cólon
Idioma Português
Data de publicação 2002-01-01
Publicado em Acta Cirurgica Brasileira. Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia, v. 17, n. 6, p. 398-402, 2002.
ISSN 0102-8650 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Extensão 398-402
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502002000600008
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-86502002000600008 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1323

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-86502002000600008.pdf
Tamanho: 125.9KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta