Curvas de crescimento intra-uterino de uma população de alto nível socioeconômico

Mostrar registro simples

dc.contributor.author Segre, Conceição A. M. [UNIFESP]
dc.contributor.author Colletto, Gloria M. D. D.
dc.contributor.author Bertagnon, José R. D.
dc.date.accessioned 2015-06-14T13:29:26Z
dc.date.available 2015-06-14T13:29:26Z
dc.date.issued 2001-06-01
dc.identifier http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572001000300006
dc.identifier.citation Jornal de Pediatria. Sociedade Brasileira de Pediatria, v. 77, n. 3, p. 169-174, 2001.
dc.identifier.issn 0021-7557
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1189
dc.description.abstract OBJECTIVE: growth curves can be used to assess intrauterine growth, to predict diseases in newborns, and to characterize different populations. The objective of this study was to obtain intrauterine growth curves of newborns from the maternity ward of the Hospital Albert Einstein (MAE) and compare them with intrauterine growth curves of a population from California, USA. METHODS: We plotted the growth curves according to weight at birth and gestational age, which was obtained according to information from the mother, after the 32nd week of gestation, between February 1995 and February 1999. We calculated the birth weights for the 10th, 50th, and 90th percentiles of weight at birth for each gestational age and compared them with those of the growth curves from California. RESULTS: The growth curves for the 10th and the 50th percentiles did not differ from the California growth curves. For the 90th percentile, however, the MAE growth curves were lower than those of California. The MAE population presented fewer small-for-gestational age (SGA) and big-for-gestational age (BGA) newborns when assessed according to the California curves. The categories of SGA, normal, and BGA for both male and female newborns indicated a statistically significant relation with the weight gain of mothers. CONCLUSIONS: The two populations assessed in this study were different according to intrauterine growth curves. Further studies should be carried out in order to identify specific factors that may be acting on the MAE population. en
dc.description.abstract OBJETIVO: as curvas de percentil constituem uma das formas de avaliação do crescimento intra-uterino e podem predizer doenças do recém-nascido como também caracterizar uma população. Este trabalho teve por objetivo construir as curvas de crescimento intra-uterino dos recém-nascidos da Maternidade do Hospital Albert Einstein (MAE), hospital que atende a uma população de alto nível socioeconômico, e comparar com as curvas de crescimento intra-uterino de uma população norte-americana da Califórnia. MÉTODOS: foram construídas curvas de crescimento intra-uterino a partir do peso do recém-nascido de parto único, tomado logo após o nascimento, e da idade gestacional segundo informações maternas, a partir da 32ª. semana de idade gestacional, abrangendo os nascimentos ocorridos na MAE no período de fevereiro de 1995 a fevereiro de 1999. Foram calculados os percentis 10, 50 e 90 do peso ao nascer para cada idade gestacional e comparados com os das curvas da Califórnia. RESULTADOS: as curvas dos percentis 10 e 50 na população da MAE não diferiram das curvas da Califórnia. Para o percentil 90, a curva da MAE ficou abaixo das curvas da Califórnia. Houve número menor de pequenos e grandes para a idade gestacional (PIG e GIG) quando classificados pelas curvas da Califórnia. A classificação em PIG, AIG, GIG mostrou-se relacionada significantemente com o ganho de peso materno nos dois sexos. CONCLUSÕES: as duas populações analisadas segundo as curvas de crescimento intra-uterino são diferentes entre si; deverão ser identificados fatores específicos que atuem na população da MAE. pt
dc.format.extent 169-174
dc.language.iso por
dc.publisher Sociedade Brasileira de Pediatria
dc.relation.ispartof Jornal de Pediatria
dc.rights Acesso aberto
dc.subject newborn en
dc.subject child development en
dc.subject recém-nascido pt
dc.subject desenvolvimento infantil pt
dc.title Curvas de crescimento intra-uterino de uma população de alto nível socioeconômico pt
dc.title.alternative Intrauterine growth curves in a high-income population en
dc.type Artigo
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.contributor.institution Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein Instituto de Ensino e Pesquisa
dc.contributor.institution Universidade de São Paulo (USP)
dc.contributor.institution Prefeitura Municipal de São Paulo Serviços em Saúde
dc.description.affiliation UNIFESP-EPM
dc.description.affiliation Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein Instituto de Ensino e Pesquisa
dc.description.affiliation USP
dc.description.affiliation Prefeitura Municipal de São Paulo Serviços em Saúde
dc.description.affiliationUnifesp UNIFESP, EPM
dc.identifier.file S0021-75572001000300006.pdf
dc.identifier.scielo S0021-75572001000300006
dc.identifier.doi 10.1590/S0021-75572001000300006
dc.description.source SciELO



Arquivos deste item

Nome: S0021-75572001000300006.pdf
Tamanho: 215.2Kb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples