Achados oculares em pacientes com mielomeningocele: 72 casos

Achados oculares em pacientes com mielomeningocele: 72 casos

Título alternativo Ocular findings in 72 patients with meningomyelocele
Autor Cronemberger, Monica Fialho Autor UNIFESP Google Scholar
Tabuse, Marcia Keiko Uyeno Autor UNIFESP Google Scholar
Aguilar, Luis Tibiriça Autor UNIFESP Google Scholar
Costa, Marcelo Fernandes Da Google Scholar
Ferraretto, Ivan Google Scholar
Instituição Associação de Assistência à Criança Defeituosa
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
A.A.C.D. setor de oftalmologia
Resumo Purpose: To study ocular findings in patients with meningomyelocele. Methods: A retrospective study of 72 patients with myelomeningocele was performed to evaluate ocular motility disorders, refractive errors and indirect ophthalmoscopy findings. Results: In a group of 72 patients with myelomeningocele, aged 5 month -- 18 years, 64 (88.9%) had hydrocephalus. Of this group of 64 patients, 36 (56.3%) had strabismus, 21 (58.3%) of whom were esotropic, and 13 (36.1%) exotropic, 1 (2.8%) exophoric and 1 (2.8%) presented sometimes esotropia and sometimes exotropia. Of the total of 72 studied patients, 38 (52.8%) had strabismus. Anisotropia was found in 16 (22.2%) patients, 14 (87.5%) with an A pattern and 2 (12.5%) with a V pattern. The most frequent refractive error was hyperopia, found in 64 (44.4%) eyes. All the 16 patients with anisotropia had hydrocephalus. Atrophy of the optic nerve was found in 9 (12.5%) patients. Conclusion: Myelomeningocele associated with hydrocephalus had a higher percentage of strabismus than the normal population.

Objetivo: Estudar as alterações oculares em pacientes com mielomeningocele. Material e Método: Realizado estudo retrospectivo em 72 pacientes com mielomeningocele, descrevendo as alterações oculares presentes nessa população, além de correlacionar com a presença ou não de hidrocefalia. Resultados: Dos 72 pacientes com mielomeningocele, com idade variando de 5 meses a 18 anos, 64 (88,9%) pacientes tinham hidrocefalia. Destes 64 pacientes, 36 (56,3%) tinham estrabismo, sendo que 21 (58,3%) eram endotrópicos, 13 (36,1%) exotrópicos, 1 (2,8%) exofórico e 1 (2,8%) com estrabismo discinético. Do total dos 72 pacientes estudados 38 (52,8%) eram estrábicos. A anisotropia foi encontrada em 16 (22,2%) pacientes, sendo que em 14 (87,5%) em A e em 2 (12,5%) em V. Todos os 16 pacientes com anisotropia apresentavam hidrocefalia. O erro refrativo mais freqüente foi a hipermetropia encontrada em 64 (44,4%) olhos. Atrofia óptica foi encontrada em 9 (12,5%) pacientes. Conclusão: A mielomeningocele, associada a hidrocefalia, apresenta uma porcentagem de estrabismo maior do que o encontrado na população normal.
Palavra-chave Myelomeningocele
Hydrocephalus
Strabismus
Mielomeningocele
Hidrocefalia
Estrabismo
Idioma Português
Data de publicação 2000-10-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 63, n. 5, p. 379-382, 2000.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo)
Publicador Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 379-382
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492000000500010
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-27492000000500010 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1038

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27492000000500010.pdf
Tamanho: 179.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta