Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10155
Title: Uso de drogas Psicoativas entre Estudantes Adolescentes Trabalhadores e não Trabalhadores da Rede Estadual de Ensino de Cuiabá, Mato Grosso
Other Titles: Psychoactive drug use among working and non-working adolescent students from the state school network in Cuiabá, Western Brazil
Authors: Silveira, Dartiu Xavier da [UNIFESP]
Souza, Delma Perpétua Oliveira de [UNIFESP]
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Keywords: Trabalho
Estudantes
Drogas psicoativas
Saúde mental
Epidemiologia
Saúde pública
Work
Adolescent
Psychoactive drugs
Epidemiology
Mental health
Transtornos relacionados ao uso de substâncias
Substance-related disorders
Adolescente
Students
Public health
Issue Date: 29-Mar-2006
Publisher: Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Citation: SOUZA, Delma Perpétua Oliveira de. Uso de drogas Psicoativas entre Estudantes Adolescentes Trabalhadores e não Trabalhadores da Rede Estadual de Ensino de Cuiabá, Mato Grosso. 2006. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2006.
Abstract: Objective: to analyze the prevalence and factors associated with lifetime use of psychoactive drugs among working and non-working adolescent students. Methods: we carried out an analytical cross-sectional study using a clustered sample stratified by type of education. We administered an anonymous, self-administered questionnaire in classroom. Our sample included 2,718 adolescents (993 workers and 1,725 non-workers) enrolled in 1998 in the state school network of Cuiabá, Center-Western Brazil. We considered as lifetime use the consumption of any psychoactive drug at least once in life. We used bivariate and multivariate analysis, including logistic regression and a decision tree based on the CHAID algorithm (Chi-squared automatic interaction Detection). Results: We found 22.7% prevalence of lifetime drug use, excluding alcohol and tobacco. This prevalence was greater among workers (28.5%) than among non-workers (19.3%). Prevalence for individual drugs was 81.0% and 65,8% for alcohol, 43.7% and 26,8% for tobacco, 14.6% and 11,7% for solvents, 8.6% and 4,4% for marijuana, 6.9% and 3,6% for amphetamines, 6.4% and 3,3% for anxiolitics, and 3.2% and 1.4% for cocaine. Absenteeism was a risk factor for drug use among both groups. Other risk factors included poor relationship between parents among workers (OR = 1.53; 95%;CI:1.10-2.12) and poor relationship with father among non-workers (OR = 1.56; 95%;CI:1.14-2.14). Conclusion: Differences and similarities between working and non-working students must be considered when implementing educational strategies aimed at modifying drug use related behavior.
Objetivo: Analisar a prevalência e os fatores associados ao uso, na vida, de drogas psicoativas entre estudantes adolescentes trabalhadores e não trabalhadores. Métodos: Trata-se de um estudo analítico de corte transversal realizado por amostragem de conglomerados e estratificada por tipo de ensino. Aplicou-se, em sala de aula, um questionário anônimo de auto-preenchimento. A amostra foi constituída de 2718 estudantes adolescentes, sendo 993 trabalhadores e 1725 não trabalhadores matriculados, em 1998, na rede estadual de ensino de Cuiabá, Estado de Mato Grosso, Brasil. Considerou-se, para efeito da pesquisa, o uso de alguma droga psicoativa pelo menos uma vez na vida. Utilizaram-se as análises bivariada e multivariada, incluindo regressão logística e árvore de decisão através do algoritmo CHAID (Chi-squared automatic interaction Detection). Resultados: Verificaram-se prevalências de 22,7% para o uso de drogas na vida, exceto o álcool e tabaco, na amostra, sendo maior entre os estudantes trabalhadores (28,5%) comparativamente aos não-trabalhadores (19,3%), como também para o uso do álcool (81,0% e 65,8%), tabaco (43,7% e 26,8%), solventes (14,6% e 11,7%), maconha (8,6% e 4,4%), anfetaminas (6,9% e 3,6%), ansiolíticos (6,4% e 3,3%) e cocaína (3,2% e 1,4%). Faltas às aulas constituiu fator de chances para o uso de drogas entre ambos os grupos de adolescentes. Entre os trabalhadores apareceu a relação insatisfatória entre os pais (RO = 1,53, IC 95%:1,10-2,12) e, entre os não trabalhadores, a qualidade da relação com o pai (RO = 1,56, IC 95%:1,14-2,14). Conclusão: As diferenças e semelhanças observadas entre os adolescentes trabalhadores e não trabalhadores devem ser consideradas na implementação de ações educativas, visando a mudanças de comportamento relacionadas ao uso de drogas.
URI: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10155
Appears in Collections:Tese de doutorado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Publico-0080a.pdf120.19 kBAdobe PDFView/Open
Publico-0080b.pdf849.06 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.