Detection of hepatitis A antibodies by ELISA using saliva as clinical samples

Detection of hepatitis A antibodies by ELISA using saliva as clinical samples

Título alternativo Detecção de anticorpos anti-VHA em amostras de saliva utilizando teste imuno-enzimático
Autor Oba, Isabel Takano Google Scholar
Spina, Angela Maria Miranda Google Scholar
Saraceni, Cláudia Patara Google Scholar
Lemos, Marcílio Figueiredo Google Scholar
Senhoras, Rita De Cássia Ferreira Andrade Google Scholar
Moreira, Regina Célia Google Scholar
Granato, Celso Francisco Hernandes Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Instituto Adolfo Lutz Department of Virology
Health Center
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo The possibility of detecting acute infection and immunity using body fluids that are easier to collect than blood, mainly in children, would facilitate the investigation and follow-up of outbreaks of hepatitis A (HAV). Our study was carried out to evaluate the detection of anti-HAV IgM, IgA and total antibodies in saliva using serum samples as reference. Forty three paired serum and saliva samples were analyzed. From this total, 24 samples were obtained from children and 1 from one adult during the course of acute hepatitis A; an additional 18 samples were obtained from health professionals from Adolfo Lutz Institute. The sensitivity to detect anti-HAV IgM was 100% (95%CI: 79.1 to 100.0%), employing saliva as clinical samples. In detecting anti-HAV IgA, the sensitivity was 80.8% (95%CI: 60.0 to 92.7%) and for the total antibodies was 82.1% (95%CI: 62.4 to 93.2%). The specificity was 100% for each. The rate of agreement was high comparing the results of serum and saliva samples for detecting HAV antibodies. We conclude that saliva is an acceptable alternative specimen for diagnosing acute hepatitis A infection, and for screening individuals to receive hepatitis A vaccine or immunoglobulin.

A possibilidade de identificar infecções presentes ou passadas utilizando fluidos corpóreos que seriam mais facilmente coletados do que o sangue, principalmente em crianças, facilitaria grandemente a investigação e o acompanhamento de surtos de hepatite A, que ocorrem com muita freqüência em nosso meio. Nosso estudo foi desenvolvido com a finalidade de avaliar a detecção dos anticorpos anti-VHA, da classe IgA, IgM, e anticorpos totais em amostras de saliva, usando amostras de soro como padrão. Foram estudadas 43 amostras pareadas de saliva e de soro, colhidas de 24 crianças e de um adulto durante um surto de hepatite A, e de 18 funcionários do Instituto Adolfo Lutz. Empregando saliva como amostra clínica, a sensibilidade para a detecção de anti-VHA IgM foi de 100,0%, de anti-VHA IgA foi de 80,8% e de anti-VHA total foi de 82,1%. Não houve nenhum resultado falso-positivo, sendo a especificidade de 100%. A concordância foi alta entre os resultados das amostras de saliva e soro na detecção dos anticorpos, indicando que amostras de saliva podem ser utilizadas no diagnóstico de infecção aguda pelo VHA e na seleção de indivíduos para vacinação contra o VHA, para conter surtos.
Palavra-chave Hepatitis A
Saliva
Antibodies
Vaccine
Idioma Inglês
Data de publicação 2000-08-01
Publicado em Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical, v. 42, n. 4, p. 197-200, 2000.
ISSN 0036-4665 (Sherpa/Romeo)
Publicador Instituto de Medicina Tropical
Extensão 197-200
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0036-46652000000400004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0036-46652000000400004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/1013

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0036-46652000000400004.pdf
Tamanho: 40.39KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta