Suplementação com cholecalciferol em pacientes com doença renal crônica e hipovitaminose D

Suplementação com cholecalciferol em pacientes com doença renal crônica e hipovitaminose D

Título alternativo Cholecalciferol supplementation in chronic kidney disease patients with vitamin D insufficiency: a 6-month follow-up
Autor Garcia-Lopes, Miriam Ghedini Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Cuppari, Lilian Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Background: The effective protocol for treatment of hypovitaminosis D in non-dialysis dependent chronic kidney disease (NDD-CKD) patients has not yet been defined. In the present study we aimed to investigate the impact of cholecalciferol supplementation on serum markers of bone and mineral metabolism using the K/DOQI recommendation for NDD-CKD patients with vitamin D insufficiency. Methods: This was a prospective, randomized, single-blinded interventional study with 6 month of follow-up. This study included 75 patients, randomly assigned for the cholecalciferol group (n=38; 50,000 IU per month for 6 months) or for the placebo group (n=37). Results: After cholecalciferol supplementation, 25(OH)D levels increased significantly at 3 and 6 months in the intervention group and was maintained in the placebo group. No change was found in serum parathyroid hormone as well as in the other serum markers of mineral metabolism studied during the follow-up in both groups. In the end of the study, 46% of the treated patients did not achieve 25(OH)D levels higher than 30 ng/mL. This group of patients had a greater body fat index when compared with those who achieved this level. In the placebo group 40.5% increased 25(OH)D levels higher than 30 ng/mL after 6 months. The season (summer/autumn) when blood was collected for 25(OH)D determination was the only parameter that differed from the group of patients who maintained 25(OH)D levels below 30 ng/mL. Conclusion: Our results indicate that the protocol for treatment of vitamin D insufficiency proposed by the K/DOQI guideline seems not to be adequate for completely restore the vitamin D status of NDD-CKD patients. The lack of adequate response to cholecalciferol supplementation together with the unpredicted restoration of vitamin D status in the placebo group may account, at least in part, for the negative results of the present study.

Considerando a elevada prevalência de hipovitaminose D em pacientes na fase não dialítica da doença renal crônica (DRC) e os efeitos benéficos da restauração do estado nutricional de vitamina D nos pacientes com DRC nos parâmetros do metabolismo mineral, os guias de práticas clínicas para prevenção e tratamento dos distúrbios do metabolismo mineral ósseo, Kidney Disease Outcomes Quality Initiative (K-DOQI) e Kidney Disease Improving Global Outcomes (KDIGO), sugerem a suplementação com vitamina D (ergocalciferol ou colecalciferol) para pacientes com DRC na fase não dialítica com hipovitaminose D. No entanto, poucos estudos avaliaram o efeito da suplementação nessa população. Dessa forma, este estudo tem como objetivo investigar os efeitos da suplementação com colecalciferol sobre marcadores séricos do metabolismo mineral de pacientes com hipovitaminose D na fase não dialítica da DRC. Estudo 1. Suplementacao com colecalciferol na doenca renal cronica: restauracao do estado nutricional de vitamina D e impacto sobre o paratormonio. O estudo foi prospectivo com duracao de 6 meses. Foram incluidos 45 pacientes com deficiencia de vitamina D 25-hidroxivitamina D [25(OH)D] < 15 ng/mL. Os pacientes foram suplementados com 50.000 UI/semana de colecalciferol durante 3 meses, sendo que naqueles que alcancaram niveis de 25(OH)D„d 30 ng/mL a dose foi modificada para 50.000 UI/mes durante os proximos 3 meses. Para os demais pacientes, a mesma dose inicial foi mantida por mais 3 meses. Apos o inicio da suplementacao observou-se um aumento significativo nos niveis de 25(OH)D no tempo 3 e no tempo 6. Nos primeiros 3 meses de suplementacao, 78% dos pacientes atingiram niveis de 25(OH)D„d 30 ng/mL. No entanto, apos o ajuste da dose, somente 43% mantiveram esses niveis. Houve uma diminuicao nos niveis de paratormonio (PTH) no tempo 3, periodo em que os pacientes receberam a maior dose de colecalciferol. As mudancas nos niveis de 25(OH)D durante os 3 meses correlacionaram-se positivamente com as mudancas dos niveis de 1,25-diidroxivitamina D [1,25(OH)2D] (r= 0,37; P= 0,01). As variacoes nos niveis de PTH correlacionaram-se inversamente com as mudancas nos niveis de calcio serico (r= -0,42; P= 0,004) e diretamente com as mudancas na creatinina serica (r= 0,38; P= 0,01). A analise de regressao logistica incluindo a proteinuria do inicio do estudo e as mudancas nos niveis sericos de creatinina, demonstrou que o excesso de adiposidade foi o principal fator associado com uma menor resposta a suplementacao nos primeiros 3 meses (IMC „d 25 kg/m2: ƒÒ= 2,35, EP= 1,15, P= 0,04; indice de gordura do tronco: ƒÒ= 2,59, EP= 1,13, P= 0,02). Este estudo concluiu que o tratamento com 50.000 UI por semana de colecalciferol foi efetivo em restaurar o estado nutricional de vitamina D na maioria dos pacientes sem apresentar efeitos adversos. A restauracao dos niveis de vitamina D resultou na diminuicao do PTH mesmo com uma reducao da funcao renal. Estudo 2. Suplementacao com colecalciferol em pacientes com doenca renal cronica e insuficiencia de vitamina D. O estudo foi prospectivo com duracao de 6 meses, randomizado e cego. Foram incluidos 75 pacientes com insuficiencia de vitamina D [25(OH) D „d 15 e < 30 ng/mL. Os pacientes foram tratados de acordo com a recomendacao de suplementacao proposta pelo K-DOQI para pacientes com insuficiencia de vitamina D (50.000 UI de colecalciferol mensalmente durante 6 meses). Os mesmos foram aleatoriamente alocados em dois grupos: Grupo Colecalciferol (n= 38 pacientes) ou Grupo Placebo (n= 37 pacientes). O grupo colecalciferol recebeu durante todo periodo de estudo 50.000 UI de colecalciferol mensalmente. Todos os pacientes incluidos no estudo receberam protetor solar durante o periodo de suplementacao. Apos o periodo de suplementacao houve um aumento significativo nos niveis de 25(OH)D no grupo colecalciferol. Com relacao aos demais parametros do metabolismo mineral, nao foram observados modificacoes em nenhum dos parametros durante o seguimento. Apos 6 meses de suplementacao, 46% dos pacientes tratados nao atingiram niveis de 25(OH)D > 30 ng/mL. Esses pacientes apresentaram uma maior quantidade de gordura corporal quando comparados com aqueles que alcancaram esses niveis. Ja no grupo placebo, 40,5% dos pacientes atingiram niveis de 25(OH)D > 30 ng/mL no tempo 6. A epoca da coleta (verao/outono) para a determinacao dos niveis de 25(OH)D no tempo 6 foi o unico parametro que diferiu dos demais pacientes que mantiveram os niveis de 25(OH)D< 30 ng/mL. Em resumo, os resultados do presente estudo demonstram que o protocolo de tratamento proposto pelo K-DOQI parece nao ser adequado para restaurar o estado nutricional de vitamina D em pacientes com insuficiencia desta vitamina. No entanto, a gordura corporal e a epoca da coleta sao fatores que podem ter contribuido para o achado negativo deste estudo.
Palavra-chave Adiposidade
Adiposity
Cholecalciferol
Hiperparatireoidismo secundário
Hipovitaminose D
Season
Vitamin D
Vitamina D
Chronic kidney disease
Doença renal crônica
Idioma Português
Data de publicação 2011-02-22
Publicado em LOPES, Miriam Ghedini Garcia. Suplementação com cholecalciferol em pacientes com doença renal crônica e hipovitaminose D. 2011. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10101

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-12562.pdf
Tamanho: 1.592MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta