Síndrome cardiofaciocutânea (CFC): um estudo neuropsicológico, cognitivo e comportamental

Síndrome cardiofaciocutânea (CFC): um estudo neuropsicológico, cognitivo e comportamental

Título alternativo Cardiofaciocutaneous syndrome: a neuropsychological, cognitive and behavior study
Autor Navatta, Anna Carolina Rufino Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Brunoni, Decio Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objetivo- Descrever o nível intelectual, funções neuropsicológicas (habilidades visoconstrutivas, de linguagem, memória, atenção) e aspectos comportamentais em uma amostra de 13 pacientes brasileiros com diagnóstico da síndrome CFC. Métodos- Foram utilizados os seguintes testes: Teste Raven, Desenho da figura Humana, Trail Making Teste, Figura Complexa de Rey, Dígitos, Blocos de Corsi, Fluência Verbal Semântica, Fluência Verbal Fonológica e Child Behavior Cheklist. Foram desenvolvidos e adaptados os seguintes métodos: avaliação qualitativa da linguagem, avaliação do grafismo e avaliação estruturada das habilidades adaptativas (segundo critérios da American Association on Intelectual Disabilities. Resultados- Quanto aos aspectos neuropsicológicos, os participantes apresentaram déficits evidentes nas funções executivas, envolvendo planejamento, flexibilidade mental e organização. Déficits importantes nas funções visoconstrutivas. A memória verbal de curto-prazo demonstra ser mais preservada. Foi evidenciada variabilidade no tocante a linguagem, com variação entre a ausência de linguagem expressiva até habilidade verbal e semântica na média para faixa-etária compatível. Foram encontrados prejuízos acentuados nas habilidades práticas e variabilidade na expressão comportamental. Conclusão- A síndrome CFC está associada à Deficiência Intelectual de grave a profunda. Maior variabilidade cognitiva foi detectada observando-se o desempenho nas provas neuropsicológicas, com resultados sugerindo maior habilidade na memória de curto-prazo, acentuado prejuízo nas funções executivas e déficits nas visoconstrutivas. Estes resultados corroboram estudos recentes que apontam que a deficiência intelectual não se trata de uma condição unitária caracterizada por déficits homogêneos em todas as funções mentais, mas com expressividade heterogênea na qual algumas funções cognitivas podem estar mais prejudicadas do que outras. Participantes com relato de estimulação precoce obtiveram melhor desempenho nas habilidades adaptativas práticas, com benefícios na vida diária destes e da suas famílias.
Palavra-chave Anormalidades múltiplas
Comportamento
Anormalidades craniofaciais
Anormalidades da pele
Cognição
Neuropsicologia
Síndrome
Cardiopatias congênitas
Idioma Português
Data de publicação 2009-06-24
Publicado em NAVATTA, Anna Carolina Rufino. Síndrome cardiofaciocutânea (CFC): um estudo neuropsicológico, cognitivo e comportamental. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 95 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10089

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-00209.pdf
Tamanho: 384.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta