Sensação cutânea abdominal em obesidade e após obesidade com e sem abdominoplastia pós-cirurgia bariátrica

Sensação cutânea abdominal em obesidade e após obesidade com e sem abdominoplastia pós-cirurgia bariátrica

Título alternativo Abdominal skin sensation in obesity and after obesity with and without post-bariatric surgery abdominoplasty
Autor Bussolaro, Rodolpho Alberto Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Cirurgia translacional – São Paulo
Resumo Introduction: Obeses and former obeses have flaccidity and excedent skin. The skin can have its neurologic function impaired by obesity. The cutaneous sensory tactile function is essential for the human behavior in cotidien life, and a satisfactory health assistance must understand this function inside the obesity context. Objective: To quantify the abdominal wall skin sensation in obesity and after obesity with and without postbariatric abdominoplsty. Methods: Semmes-Weinstein monofilaments were used to measure the innocuous tactile abdominal skin sensation in 25 obeses, 56 post-bariatrics and 43 thin women. And 28 former obeses were submitted to no flap undermining abdominoplasty with their skin sensation quantified before and six months after the surgery; the result was compared to a control group. The statistical significance level was 0.05. Results: Sensory limiars (Obeses = 6,9g/mm2, former obeses = 4,4g/mm2 and thins = 3,4g/mm2) are different (Wilcoxon test & Bonferroni correction). Infraumbilical abdominal skin’s sensory limiar (9,6g/mm2) is different from the umbilical (5,9g/mm2) e supra-umbilical (5,4g/mm2) levels, Wilcoxon & Bonferroni. The post-bariatric abdominoplasty kept the abdominal skin sensation function (Mann Whitney test). Conclusion: The skin sensory function is impaired in obesity and, at a lower level, after obesity; the abdominoplasty without flap undermining do not impair this skin function.

Introdução: Obesos e ex-obesos apresentam flacidez e excesso de pele que é um órgão que pode apresentar prejuízo sensorial na obesidade. A função sensorial cutânea é imprescindível para a vida cotidiana; compreender o seu comportamento na obesidade e após a mesma com e sem abdominoplastia reparadora é útil para a adequada assistência à saúde de obesos e ex-obesos graves. Objetivo: Quantificar a sensação táctil da pele abdominal de obesas e ex-obesas bem como a repercussão sensorial da abdominoplastia. Métodos: Monofilamentos de Semmes-Weinstein foram usados para quantificar a sensação táctil inócua à pressão na pele abdominal em casuística de 25 mulheres obesas, 56 ex-obesas pós-cirurgia bariátrica e 43 magras. E 28 ex-obesas submeteram-se a abdominoplastia sem descolamento de retalho, com a função sensorial cutânea quantificada antes e seis meses após a operação, seu resultado foi comparado com um grupo controle. O nível de significância estatística adotado foi 0,05. Resultados: Os limiares sensoriais (de obesas foi de 6,9g/mm2, ex-obesas 4,4g/mm2 e magras 3,4g/mm2) são diferentes (teste de Mann-Whitney & Bonferroni). A sensação táctil da pele infra-umbilical de obesas (9,6g/mm2) diferiu do nível umbilical (5,9g/mm2) e supra-umbilical (5,4g/mm2), teste de Wilcoxon & Bonferroni. A abdominoplastia pós-bariátrica não alterou a função sensorial (Mann Whitney). Conclusão: A função sensorial cutânea abdominal está prejudicada na obesidade (em maior grau no nível infraumbilical) e em menor grau após o emagrecimento. A abdominoplastia pós-cirurgia bariátrica sem descolamento de retalho preserva essa função.
Palavra-chave Obesidade
Cirurgia bariátrica
Cirurgia plástica
Pele
Parede abdominal
Idioma Português
Financiador Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Programa de pós-graduação em cirurgia plástica da UNIFESP
Data de publicação 2010-11-24
Publicado em BUSSOLARO, Rodolpho Alberto. Sensação cutânea abdominal em obesidade e após obesidade com e sem abdominoplastia pós-cirurgia bariátrica. 2010. 191 f. Tese (Doutorado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 191 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10072

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-350.pdf
Tamanho: 1.536MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta