Respostas biométricas, bioquímicas e comportamentais de camundongos adultos em resposta à privação de sono de suas mães após a fertilização

Respostas biométricas, bioquímicas e comportamentais de camundongos adultos em resposta à privação de sono de suas mães após a fertilização

Título alternativo Biochemical, biometrical and behavioral responses in male mice due sleep deprivation of their mothers after fertilization
Autor Calegare, Bruno Frederico Aguilar Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador D'Almeida, Vânia Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Epidemiological and experimental evidences suggest that adolescents and adults prenatally exposed to adverse situations like poor nutrition, alcohol and stress show high prevalence of cognitive impairment, social behavior deficits as well as biochemical and physiological alterations, which may be in part related to epigenetic programming. This study was undertaken to determine whether prenatal exposure to sleep deprivation alters physiological, behavioral and oxidative metabolic processes of adult male offspring. One group of dams was continuously sleep deprived by platform technique from gestational Day 1 to 3 (PSD 72). Other 3 groups were sleep deprived by gentle handling for six hours on gestational Day 1 (GH 1), or 2 (GH 2) or 3 (GH 3). Finally, a number of dams were allowed to sleep during the pregnancy to obtain pregnancy time control. After sleep deprivation blood samples were collected from the mothers and their respective time controls to access homocysteine, cysteine, corticosterone, estrogen and progesterone concentrations. After born the male offspring were measured and weighted all over the experiment. In addition, behavior (activity box and elevated plus maze) was assessed on post natal day 90. Ninety one-day old male offspring were sacrificed and biochemical parameters were assayed. The dam’s concentration of plasma progesterone was decreased in PSD 72 and plasma estradiol increased in GH 2. Corticosterone levels were increased after all sleep deprivation procedures. Homocysteine concentrations increased in GH 2 and decreased in PSD 72. The offspring of sleep deprived mothers at the first day of pregnancy exhibited decreased superoxide dismutase activity, but unchanged catalase, homocysteine and cysteine levels and normal behavior on the elevated-plus maze and activity box. The exposure to sleep deprivation has a long-lasting impact on tissue weight as it causes a decrease in the abdominal fat weight in mature animal from PSD 72. Possibly inducing stress and hormonal alterations on mothers (the elevation of estrogen and corticosterone, and the decrease of progesterone) may contribute to permanent alteration in the epigenetic programming of adult offspring. Also, homocysteine changes in dams may be an important factor for the epigenetic alterations observed in offspring, contributing to redox changes that can control gene expression by shaping the epigenotype of developing organisms.

Evidências epidemiológicas e experimentais sugerem que adolescentes e adultos expostos prenatalmente a situações adversas como má alimentação, álcool e estresse demonstram alta prevalência de alterações de cognição, comportamento social, assim como alterações bioquímicas e fisiológicas que podem estar relacionadas a programação epigenética. Este estudo foi elaborado para determinar se a exposição à privação de sono durante a pré-implantação pode alterar parâmetros fisiológicos, comportamentais e oxidativos de machos adultos. Um grupo de mães foi privado de sono pelo método das plataformas múltiplas do dia gestacional 0 ao 3 (PSP 72). Outros três grupos foram privados de sono pelo método gentle handling por seis horas no dia gestacional 1 (GH 1), ou dia gestacional 2 (GH 2) ou dia gestacional 3 (GH 3). E um último grupo de mães foi permitido dormir para obtenção do grupo controle (CT). Depois da privação de sono, parte das mães de cada grupo foram eutanasiadas e amostras de sangue coletadas para dosagens de homocisteína, cisteína, corticosterona, progesterona e estradiol. Depois do nascimento, os machos foram medidos e pesados durante todo o experimento. No dia pós-natal 90, os animais foram submetidos aos testes comportamentais para avaliar locomoção e ansiedade. No dia seguinte aos testes comportamentais, os machos foram eutanasiados e os parâmetros bioquímicos foram avaliados. Houve aumento nos níveis de corticosterona plasmática após todos os procedimentos de privação de sono. A concentração plasmática de progesterona diminuiu nas fêmeas PSP 72 enquanto a concentração de estradiol plasmático aumentou nas fêmeas GH 2. A concentração de homocisteína plasmática aumentou nas fêmeas GH 2 e diminuiu nas fêmeas PSP 72. Os filhos machos cujas mães foram privadas de sono no primeiro dia gestacional mostraram uma diminuição da superóxido dismutase, mas sem alteração da catalase. As concentrações de homocisteína e cisteína, assim como os parâmetros comportamentais, não sofreram modificações entre os grupos quando comparados ao grupo CT. A exposição à privação de sono teve impacto de longa duração no peso dos tecidos, levando a uma redução no peso da gordura epididimal dos machos do grupo PSP 72.
Palavra-chave Privação de sono
Prenhez
Biometria
Comportamento
Estresse oxidativo
Homocisteína
Hormônios
Camundongos
Idioma Português
Data de publicação 2009-06-24
Publicado em CALEGARE, Bruno Frederico Aguilar. Respostas biométricas, bioquímicas e comportamentais de camundongos adultos em resposta à privação de sono de suas mães após a fertilização. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 100 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10053

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Retido-179.pdf
Tamanho: 1.491MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta