Resposta imune à vacinação contra tétano aos 15 meses de idade em crianças nascidas antes de 37 semanas de idade gestacional e peso ao nascer inferior a 1500 gramas

Resposta imune à vacinação contra tétano aos 15 meses de idade em crianças nascidas antes de 37 semanas de idade gestacional e peso ao nascer inferior a 1500 gramas

Título alternativo Immune response to vaccination against tetanus at 15 months of age in infants born before 37 weeks of gestational age and birth weight less than 1500 grams
Autor Perin, Maria Cristina Abrão Aued Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Dos Santos, Amelia Miyashiro Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Pediatria e ciências aplicadas à pediatria - São Paulo
Resumo Objectives: To compare antibody concentrations and percentages of TCD4+ and TCD8+ specific for tetanus toxoid and producers of interferon-gama, before and after booster vaccination against tetanus, at 15 months of age, in infants born prematurely and in infants born at term, and to identify factors associated with humoral and cellular responses to vaccination against tetanus. Methods: Prospective study approved by the Ethic Committee of the institution. Parents and guardians signed the consent form. Inclusion criteria were infants with 15 months of age, from two groups: those born before 37 weeks of gestation and birth weight <1500g and infants born at term. At 15 months, before vaccination against tetanus, and at 18 months (post-vaccination), tetanus antibodies was measured by enzyme immunoassay (ELISA) type double antigen and the percentage of TCD4+ and TCD8+ producing INF-γ after in vitro stimulation with tetanus toxoid was analyzed by flow citometry. Categorical variables were compared by &#61539;2 or exact Fisher test and continuous variables were compared by t-test or Mann-Whitney. Factors associated with partial tetanus immunity (antibody titers from 0.01 to <0.1 UI/mL) at 15 months were studied by logistic regression analysis, and factors associated with lower antibody levels and lower percentages of IFN-γ producing cells were studied by linear regression analysis. Statistical significance was considered if p<0.05. Results: Sixty four infants born prematurely were included (BW: 1185±216g; GA: 29.9±2.2 weeks) and 54 born at term (BW: 3231±269g; GA: 39.0±1.0 weeks). The percentages of infants with immunity against tetanus (antibody level >0.1UI/mL) at 15 and 18 months of life were similar between groups. The geometric mean antibody concentration were lower in preterm infants, compared to term infants (0.147±0.193 vs. 0.205±0.305UI/mL, p=0.025). At 18 months, the antibody concentration was similar between the two groups of infants (1.997±2.212 vs. 1.867±2.526UI/mL, p=0.852). The percentage of TCD4+ and TCD8+ cells producing IFN-γ after in vitro stimulation with tetanus toxoid was similar in both groups at 15 and 18 months. By logistic regression analysis, the use of human milk >6 months increased by 3.528 (IC 95%: 1.189 a 10.473; p=0.023) times the likelihood of having complete immunity at 15 months of age, compared to those breastfed for less time. Each dose of antenatal corticosteroids increased the chance of having incomplete immunity against tetanus at 15 months by 2.900 (IC 95%: 1.053 a 7.986; p=0.039) times. By the linear regression analysis, having a gestational age <32 weeks, decreased the level of tetanus antibodies at 15 months by -0.146 UI/mL (IC 95%: -0.281 a -0.010), p=0.035 and supply of the breast milk >6 months increased antibody levels by 0.956 UI/mL (IC 95%: 0.080 a 1.832; p=0.033). Regarding cellular immunity at 15 months of age, the use of antenatal corticosteroids, and having higher body index mass were associated positively with higher percentage of CD4+ and CD8+ cells producing IFN-γ. Gestational age <32 weeks and higher dose of corticosteroids inhibited the cellular immune response at 15 months. Transfusions increased the percentage of CD8+ producing IFN-γ. However, at 18 months of age, there was a reversal effect of gestational age and antenatal corticosteroids on the specific cellular immunity in response to tetanus toxoid vaccination. Conclusions: Premature infants had lower levels of tetanus antibodies at 15 months of age, compared to term infants. Breastfeeding for more than six months increased antibody levels after booster vaccination against tetanus. There was an association between lower cellular response to vaccination against tetanus and gestational age less than 32 weeks and greater number of doses of antenatal corticosteroids.

Objetivos: Comparar a resposta imune humoral e celular à vacinação contra tétano aos 15 meses em lactentes prematuros e de muito baixo peso com lactentes nascidos a termo. Especificamente, os objetivos foram: comparar as concentrações de anticorpos contra tétano e a porcentagem de células TCD4+ e TCD8+ específicas para toxoide tetânico e produtoras de interferon-gama (IFN-γ) antes e após a vacinação de reforço aos 15 meses de idade em lactentes nascidos prematuros com lactentes nascidos a termo, além de identificar os fatores que influenciaram na resposta humoral e celular antes e após vacinação contra tétano. Métodos: Estudo prospectivo realizado de set/2007 a jan/ 2010, aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de São Paulo/Hospital São Paulo, sendo solicitada a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido pelos pais ou responsáveis. Foram incluídas crianças de 15 meses de idade, vacinadas segundo o esquema preconizado pelo Ministério da Saúde, sendo um grupo de crianças nascidas com idade gestacional <37 semanas e peso <1500g e outro grupo nascidas a termo. Foram excluídas crianças que apresentaram qualquer uma das seguintes condições: malformação congênita, exposição ao HIV ou suspeita de imunodeficiência primária, transfusões de plasma ou uso de imunoglobulinas cinco meses antes ou três semanas após a vacinação e crianças que haviam recebido a vacinação de reforço contra tétano antes de serem convidados para o estudo. Aos 15 meses, antes da aplicação da vacina de reforço contra tétano e, aos 18 meses (pós-vacinação), realizou-se a dosagem de anticorpos anti toxoide tetânico por ensaio imunoenzimático (ELISA) e medida por citometria de fluxo da porcentagem TCD4+ e TCD8+ produtoras de IFN-γ após estimulação in vitro com toxoide tetânico. As variáveis categóricas foram comparadas pelo &#61539;2 ou teste exato de Fisher e as numéricas pelo teste t ou Mann-Whitney. Foram realizadas análises de regressão logística para avaliar os fatores associados à imunidade incompleta contra tétano (títulos de anticorpos de 0,01 a <0,1 UI/mL) aos 15 meses de idade e regressão linear para fatores associados a menor nível de anticorpos e menor porcentagem de TCD4+ e TCD8+. Todas as análises de regressão foram controladas para: uso de corticosteroidess antenatal, número de doses de corticosteroidess antenatal, idade gestacional <32 semanas, recém-nascido pequeno para a idade gestacional, escore de gravidade clínica, ventilação mecânica >7 dias, transfusões de hemocomponentes, uso de corticoide no primeiro ano de vida, índice de massa corpórea e aleitamento materno >6 meses de idade. Considerou-se significante p<0,05. Resultados: Foram estudados 64 lactentes nascidos prematuros (PN: 1185±216g; IG: 29,9±2,2sem) e 54 crianças nascidas a termo (PN: 3231±269g; IG: 39,0±1,0sem). A proporção de crianças imunes contra tétano (≥ 0,1 UI/mL) aos 15 e 18 meses foi semelhante nos dois grupos. Aos 15 meses de idade, a média geométrica dos níveis de anticorpos foi menor nos prematuros, comparado aos nascidos a termo (0,147±0,193 vs. 0,205±0,305UI/mL, p=0,025). Aos 18 meses, o nível de anticorpos foi semelhante nos dois grupos (1,997±2,212 vs. 1,867±2,526UI/mL, p=0,852). A porcentagem de TCD4+ e TCD8+ produtoras de IFN-γ após estimulação in vitro com toxoide tetânico foi semelhantes nos dois grupos aos 15 e 18 meses. Na regressão logística, o uso de leite materno >6 meses aumentou em 3,528 (IC 95%: 1,189 a 10,473; p=0,023) vezes a chance de apresentar imunidade completa aos 15 meses de idade, comparado aos que receberam leite materno por menos tempo. Cada dose a mais de corticosteroides antenatal aumentou em 2,900 (IC 95%: 1,053 a 7,986; p=0,039) vezes a chance de ter imunidade incompleta contra tétano aos 15 meses. Na regressão linear, ter idade gestacional <32 semanas diminuiu o nível de anticorpos antitetânicos aos 15 meses em -0,146 UI/mL (IC 95%: -0,281 a -0,010; p=0,035) e a oferta de leite materno >6 meses aumentou o nível de anticorpos aos 18 meses em 0,956 UI/mL (IC 95%: 0,080 a 1,832; p=0,033). Em relação à imunidade celular, aos 15 meses de idade, uso de corticosteroidess antenatal e maiores valores de índice de massa corpórea se associaram positivamente com maior porcentagem de TCD4+ e TCD8+ produtoras de IFN-γ específicas para toxoide tetânico. A idade gestacional <32 semanas e maior dose de corticosteroidess inibiram a resposta imune celular aos 15 meses. As transfusões aumentaram a porcentagem de TCD8+ produtoras de IFN-γ específicas para toxoide tetânico. Já aos 18 meses de idade, houve uma inversão do efeito da idade gestacional e uso de corticosteróides antenatal sobre a imunidade celular em resposta à vacinação. Lactentes nascidos prematuros apresentaram menores níveis de anticorpos antitetânicos aos 15 meses de idade, comparados aos nascidos a termo. O aleitamento materno por mais de seis meses aumentou os níveis de anticorpos após a vacinação de reforço contra tétano. Houve associação entre menor resposta imune celular à vacinação contra tétano e idade gestacional inferior a 32 semanas e maior número de doses de corticoide antenatal.
Assunto Imunidade celular
Imunidade humoral
Imunização
Toxóide tetânico
Immunity, humoral
Infant
Immunity, cellular
Immunization
Tetanus toxoid
Infant, premature
Prematuro
Lactente
Humanos
Humans
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Número do financiamento FAPESP: 06/51865-8
Data 2011-08-31
Publicado em PERIN, Maria Cristina Abrão Aued. Resposta imune à vacinação contra tétano aos 15 meses de idade em crianças nascidas antes de 37 semanas de idade gestacional e peso ao nascer inferior a 1500 gramas. 2011. 111 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2011.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 111 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10052

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Retido-12715.pdf
Tamanho: 1.028Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)