Resolução temporal em perdas auditivas neurossensoriais e lesões cerebrais

Resolução temporal em perdas auditivas neurossensoriais e lesões cerebrais

Título alternativo Temporal resolution in hearing loss and brain injury
Autor Gallo, Julia Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pereira, Liliane Desgualdo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Purpose: To determine and compare the behavior of auditory temporal resolution in sujbects with symmetrical sensorineural hearing loss, individuals with brain injury and normal individuals. Methods: 38 subjects divided into four groups: 11 individuals with symmetrical sensorineural hearing loss (GPS), 4 individuals with asymmetric sensorineural hearing loss (GPAs), 8 subjects with lesions in the temporal lobe (GL), 15 subjects comparison group (CG). These patients underwent hearing assessment, to define the auditory characteristics of the groups, and evaluation of auditory temporal resolution skills through tests and RGDT GIN. The results of this evaluation were statistically analyzed and the responses obtained were compared between groups. Results: The hearing level of each of the groups ears GPS, GL and GC are symmetrical. The comparson group (GC) and brain injury (GL), are equal with respect to audiometric results. We observed a statistically significant difference between groups comparison, GC, and studies (symmetrical hearing loss, GPS, and lesion, GL) for tests and RGDT GIN. Among the groups symmetrical hearing loss and injury group showed a tendency to statistical significance. The data obtained in tests and RGDT GIN group of individuals with asymmetric sensorineural hearing loss (GPAs) was used only in comparison with the final group with symmetrical hearing loss due to small sample size in this group. Comparing the results between the groups and GPS GPAs were not statistically significant differences. Conclusion: The ability of temporal resolution was better in the group of individuals with symmetrical hearing loss than in the brain injury group. Both groups showed worse performance than in the comparison group, CG. The group of individuals with asymmetric hearing loss showed similar results regarding the ability of auditory temporal resolution in both trials when compared to individuals with symmetrical hearing loss. The task of temporal resolution in noise test (GIN) was easier than the task of temporal resolution with pure tone (RGDT) more evident in the groups with hearing loss and brain injury.

Objetivo: Verificar e comparar o comportamento auditivo de resolução temporal em indivíduos com perda auditiva neurossensorial simétrica, assimétrica, indivíduos com lesão cerebral e indivíduos normais. Métodos: 38 indivíduos divididos em 4 grupos: 11 indivíduos com perda auditiva neurossensorial simétrica (GPS); 4 indivíduos com perda neurossensorial assimétrica (GPAS); 8 indivíduos com lesão em lobo temporal (GL); 15 indivíduos Grupo comparação (GC). Estes indivíduos foram submetidos à avaliação auditiva, para definição das características audiológicas dos grupos, e avaliação da habilidade auditiva de resolução temporal através dos testes RGDT e GIN. Os resultados encontrados nesta avaliação foram analisados estatisticamente e as respostas obtidas entre os grupos foram comparadas. Resultados: O nível de audição de cada uma das orelhas nos grupos GPS, GL, e GC são simétricos. Os grupos comparação (GC) e lesão (GL) são iguais com relação aos resultados audiométricos. Observou-se diferença estatisticamente significante entre os grupos comparação,GC, e estudos: perda auditiva simétrica (GPS) e lesão (GL) para os testes RGDT e GIN. Entre os grupos perda auditiva simétrica e grupo lesão houve tendência a significância estatística. Os dados obtidos nos testes RGDT e GIN dos indivíduos do grupo com perda auditiva neurossensorial assimétrica (GPAS) foi utilizado apenas na comparação final com o grupo com perda auditiva simétrica, devido ao reduzido tamanho da amostra deste grupo. Na comparação dos resultados entre os grupos GPS e GPAS não foram encontradas diferenças estatisticamente significantes. Conclusão: A habilidade de resolução temporal foi semelhante entre o grupo de indivíduos com perda auditiva simétrica (GPS) e o grupo com lesão (GL). Ambos os grupos mostraram desempenho pior do que o grupo comparação (GC). O grupo de indivíduos com perda auditiva assimétrica (GPAS) apresentou resultados semelhantes quanto à habilidade auditiva de resolução temporal, em ambos os testes, quando comparados aos indivíduos com perda auditiva simétrica (GPS). A tarefa de resolução temporal com ruído (teste GIN) foi mais fácil do que a tarefa de resolução temporal com tom puro (teste RGDT) mais evidenciado nos grupos com perda auditiva e lesão cerebral, pois estes indivíduos apresentaram limiares melhores no teste GIN do que no teste RGDT.
Palavra-chave Lesão cerebral
Transtornos da audição
Percepção auditiva
Traumatismos encefálicos
Idioma Português
Data de publicação 2011-01-26
Publicado em GALLO, Julia. Resolução Temporal em Perdas Auditivas Neurossensoriais e Lesões Cerebrais. 2011. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 78 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10048

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Retido-006.pdf
Tamanho: 1.698MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta