Regurgitação valvar funcional em insuficiência cardíaca congestiva descompensada: monitoração não-invasiva por bioimpedância cardíaca e ecocardiografia e resposta à terapêutica

Regurgitação valvar funcional em insuficiência cardíaca congestiva descompensada: monitoração não-invasiva por bioimpedância cardíaca e ecocardiografia e resposta à terapêutica

Título alternativo Functional valvular incompetence in decompensated heart failure: noninvasive monitoring and response to medical management.
Autor Campos, Paulo César Gobert Damasceno Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Carvalho, Antonio Carlos Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Medicina (cardiologia) – São Paulo
Resumo Objective: We hypothesized that functional mitral and tricuspid valvular incompetence (MR and TR, respectively) are reversible causes of reduced cardiac output in decompensated heart failure (DF) that accompanies systolic dysfunction in ischemic or nonischemic cardiomyopathy. Background: DF, defined as signs and symptoms of heart failure at rest, is rooted in a salt-avid state transduced by neurohormonal activation secondary to impaired renal perfusion. Functional MR and TR are reversible causes of reduced systemic blood flow. Their impact on cardiac output, thoracic fluid content, cardiac chamber dimensions, and valvular apparatus function can be monitored noninvasively, before and after optimized medical management. Methods: Fourteen male subjects (66 ± 8 years old) with reduced ejection fraction (24 ± 5%) secondary to ischemic (71%) or nonischemic (29%) cardiomyopathy, who developed DF with clinical evidence of mitral (MR) and tricuspid (TR) valvular incompetence, were each assessed by bioimpedance and echocardiography before and 1 week after optimized medical management restored compensated failure. Results: Pharmacologic elimination of DF was accompanied by a reduction in body weight (p<0.01). Hemodynamic improvements included a rise in cardiac index (2.1 to 2.6 L/min/m2; p<0.01) and a reduction in predicted pulmonary artery systolic pressure (58 to 35 mm Hg; p<0.001), thoracic fluid content (39 to 32 kOhm; p<0.001), and systemic vascular resistance (1633 to 1209 dynes/sec/cm5; p<0.001). Improvements in functional MR and TR included reductions in left and right atrial areas (27 to 24 cm and 26 to 23 cm2, respectively; p<0.001), color-flow grading of MR and TR severity (p<0.01), mitral regurgitant volume (105 to 65 mL; p<0.001), and effective MR orifice size (0.8 to 0.6 cm2; p<0.01). Conclusions: In DF, functional MR and TR contribute to reduced cardiac output, increased thoracic fluid content, and systemic vascular resistance, together with enlarged atria and valvular orifice size, which can be improved by medical management. Bioimpedance and echocardiography provide for serial noninvasive assessments of hemodynamic status and valvular function in such cases.

Introdução: A insuficiência cardíaca congestiva (ICC) descompensada pode ser definida como a evidência de sinais e sintomas de insuficiência cardíaca (IC) ao repouso e representa estado de ativação neuro-hormonal intensa, secundária ao déficit de perfusão renal. Regurgitações valvares funcional mitral e tricúspide são causas reversíveis de diminuição de fluxo sanguíneo sistêmico eficaz. O impacto de tais regurgitações sobre o débito cardíaco, sobre o conteúdo de fluido torácico, sobre as dimensões de câmaras cardíacas e sobre a função do aparato valvular pode ser monitorado de forma não-invasiva, antes e após a otimização do tratamento clínico. Objetivo: Avaliar o papel das regurgitações valvares funcional mitral e tricúspide como causas reversíveis de redução do débito cardíaco em ICC descompensada, e que acompanham a disfunção ventricular sistólica em miocardiopatias isquêmica e não-isquêmica. Métodos: catorze pacientes do sexo masculino (66 ± 8 anos de idade), fração de ejeção (24 ± 5%) secundária às miocardiopatias isquêmica (71%) e não-isquêmica (29%), apresentaram ICC descompensada com evidência clínica de regurgitações valvares mitral e tricúspide, foram avaliados por Bioimpedância cardíaca e ecocardiografia antes e uma semana após otimização de tratamento clínico. Resultados: o tratamento farmacológico de ICC descompensada foi acompanhado de redução de peso corpóreo de 82,9 a 76 kg (P<0,01), elevação no índice cardíaco (de 2,1 para 2,6 L/min/m2; P<0,01), redução na pressão sistólica da artéria pulmonar (de 58 para 35 mm Hg; P<0,001), conteúdo de fluido torácico (de 39 para 32 kOhm; P<0,001) e resistência vascular sistêmica (de 1633 para 1209 dinas/seg/cm5; P<0.001). A melhora dessas regurgitações incluiu redução nas dimensões das câmaras atriais esquerda e direita (de 27 para 24 cm2 e de 26 para 23 cm2, respectivamente; (P<0,001), diminuição das regurgitações mitral e tricúspide detectadas pelo Doppler colorido (P < 0,01), do volume regurgitante mitral (de 105 para 65 ml; P<0,001), e do tamanho efetivo do orifício regurgitante mitral (de 0,8 para 0,6 cm2; P<0,01). Conclusões: Na ICC descompensada, as regurgitações funcionais mitral e tricúspide contribuem para redução do débito cardíaco, aumento do conteúdo fluido torácico e da resistência vascular sistêmica, simultaneamente ao aumento de câmaras atriais e do orifício valvar, os quais podem ser melhorados com tratamento clínico. A bioimpedância cardíaca e a ecocardiografia fornecem avaliação seriada não-invasiva de parâmetros hemodinâmicos e função valvar nestes pacientes.
Palavra-chave Bioimpedance cardiography
Bioimpedância cardíaca
Echocardiograph
Ecocardiografia
Functional valvular incompetence
Insuficiência cardíaca aguda descompensada
Decompensated heart failure
Regurgitação valvar funcional
Idioma Português
Data de publicação 2009-11-25
Publicado em CAMPOS, Paulo Cesar Gobert Damasceno. Regurgitação valvar funcional em insuficiência cardíaca congestiva descompensada: monitoração não-invasiva por bioimpedância cardíaca e ecocardiografia e resposta à terapêutica. 2009. 77 f. Tese (Doutorado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2009.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 77 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Tese de doutorado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10021

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-11760a.pdf
Tamanho: 1.069MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo
Nome: Publico-11760b.pdf
Tamanho: 1.959MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta