Reabilitação da deglutição: tempo e fatores prognósticos em pacientes disfágicos hospitalizados

Reabilitação da deglutição: tempo e fatores prognósticos em pacientes disfágicos hospitalizados

Título alternativo Swallowing rehabilitation:duration and prognostic factors in dysphagic hospitalized patients
Autor Menezes, Fernanda Teixeira Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Gonçalves, Maria Inês Rebelo Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Distúrbios da comunicação humana (fonoaudiologia) – São Paulo
Resumo Purpose: To analyze the average number of swallowing rehabilitation sessions necessary for the release of oral intake, at least one consistency, and the factors that influenced the number of swallowing rehabilitation sessions. Methods: An observational, analytical and retrospective study of 260 dysphagic patients with different diagnosis, neurological or not, at the São Paulo Hospital (UNIFESP), ages between 02 and 105 years, evaluated and treated by Speech and Language Integrated Service among August / 2007 and August/2009. Results: The average number of swallowing sessions necessary for the release of oral intake was 4.13 sessions. The factors that contributed to a significantly higher number of rehabilitation sessions were male gender, duration of hospital stay, time to request initial bedside swallowing evaluation; time of tube feeding, pneumonia, sepsis, duration of intubation, reintubation, duration of tracheotomy, duration of mechanical ventilation, duration of nebulization, swallowing saliva impairment, voice impairment, reduction of laryngeal elevation and supraglottic penetration. Regression analysis showed that the combination of the following factors interfered in the number of swallowing rehabilitation sessions: swallowing saliva impairment associated with voice impairment, swallowing saliva impairment associated with reduced laryngeal elevation and swallowing saliva impairment associated with time to request initial bedside swallowing evaluation. Conclusions: The average number of sessions to release oral intake was 4.13, which corresponds to about 5 days. Were identified 15 factors that caused the delay to release the oral intake. However, the rehabilitation of swallowing showed significant improvement in these patients.

Objetivo: Analisar o número médio de sessões de fonoterapia necessárias para a liberação de ao menos uma consistência alimentar por via oral e fatores que interferem no número de sessões para reabilitação da deglutição. Método: Estudo observacional, analítico e retrospectivo com 260 pacientes disfágicos, de diversos diagnósticos, neurológicos e não neurológicos, internados no Hospital São Paulo (UNIFESP), com idade entre 02 e 105 anos, avaliados e tratados pelo Serviço Integrado de Fonoaudiologia, no período de agosto/2007 a agosto/2009. Resultados: O número médio de sessões de fonoterapia necessárias para a liberação da dieta por via oral na amostra estudada foi de 4,13 sessões. Os fatores que apresentaram significantemente mais sessões para a liberação da dieta oral foram: sexo masculino, tempo de internação hospitalar, tempo para solicitar a avaliação fonoaudiológica, tempo de via alternativa de alimentação, broncopneumonia, sepse, tempo de intubação orotraqueal, reintubação, tempo de traqueostomia, tempo de ventilação mecânica, tempo de nebulização, alteração na deglutição de saliva, alteração vocal, redução da elevação laríngea e penetração supraglótica. A análise de regressão evidenciou que a associação dos seguintes fatores implicou em maior número sessões de fonoterapia para liberação da dieta via oral: alteração na deglutição de saliva associada à alteração vocal, alteração na deglutição de saliva associada à redução da elevação laríngea e alteração na deglutição de saliva associada ao tempo para a avaliação fonoaudiológica inicial. Conclusões: O número médio de sessões para liberação da dieta por via oral foi de 4,13 sessões, o que corresponde a aproximadamente cinco dias. Foram identificados 15 fatores que ocasionaram o atraso para liberação da dieta por via oral. No entanto, a reabilitação da deglutição foi significativa na maioria dos pacientes disfágicos...
Palavra-chave Fatores de risco
Nutrição oral
Oral intake
Reabilitação
Rehabilitation
Risk factor
Distúrbio de deglutição
Swallowing disorder
Idioma Português
Data de publicação 2010-02-24
Publicado em MENEZES, Fernanda Teixeira. Reabilitação da deglutição: tempo e fatores prognósticos em pacientes disfágicos hospitalizados. 2010. 121 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2010.
Publicador Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 121 p.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10008

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: Publico-234.pdf
Tamanho: 759.4KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta