Questionário ABEL – Auditory Behavior in Everyday Life: estudo da confiabilidade – consistência interna da versão brasileira e reprodutibilidade no teste-reteste

Questionário ABEL – Auditory Behavior in Everyday Life: estudo da confiabilidade – consistência interna da versão brasileira e reprodutibilidade no teste-reteste

Título alternativo Questionnaire ABEL - Auditory Behavior in Everyday Life: a study of reliability - internal consistency of the Brazilian version and reproducibility for test-retest
Autor Souza, Marilia Rodrigues Freitas de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Iorio, Maria Cecilia Martinelli Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Objetivo: Verificar a confiabilidade – reprodutibilidade e consistência interna – da versão em português do questionário ABEL – Auditory Behavior in Everyday Life e investigar possíveis relações e associações dos valores obtidos na aplicação do instrumento com a presença de histórico familiar de perda auditiva, a realização de terapia fonoaudiológica, o tipo de escola freqüentada pelas crianças, a diferença entre a idade das crianças no momento do diagnóstico e a idade no momento da protetização, o tempo de uso diário das próteses auditivas, o grau de perda auditiva das crianças e a escolaridade dos entrevistados. Método: Foram entrevistados 18 pais de crianças com idades entre cinco e 13 anos, usuárias de próteses auditivas bilateralmente. A entrevista consistiu da história clínica e detalhes sobre a perda auditiva e da aplicação de um questionário para levantamento do perfil social, econômico e cultural dos entrevistados. A versão em português do questionário ABEL foi aplicada oralmente em duas ocasiões, com intervalo de quinze dias entre cada uma delas, no mesmo horário do dia e no mesmo local em ambas aplicações. O instrumento consiste em 24 itens pontuados de zero a seis, divididos em três diferentes fatores (aspecto oral-aural, consciência auditiva e habilidades sociais e de conversação) e no escore total. Procurou-se verificar a reprodutibilidade do questionário no teste-reteste, bem como sua consistência interna. Investigou-se ainda se valores obtidos na primeira aplicação do instrumento poderiam estar associados às variáveis pesquisadas na anamnese e no questionário para levantamento do perfil social, econômico e cultural dos entrevistados. Ao final, foi realizada a análise estatística dos dados coletados. Resultados: As diferenças entre os valores do teste e do reteste não foram estatisticamente significantes em nenhuma das questões ou fatores, o que demonstra reprodutibilidade. Os valores de Alfa de Cronbach foram acima de 0,700 para os três fatores pesquisados pelo questionário e para o escore total, o que mostra elevada consistência interna do instrumento. Houve relação entre a presença de histórico familiar de perda auditiva e a pontuação obtida na questão 23 do questionário ABEL, em que crianças com histórico familiar positivo para deficiência auditiva apresentaram maior pontuação neste item (p=0,049); entre a realização de terapia fonoaudiológica e a pontuação obtida na questão 5 do questionário, em que crianças que não realizam ou realizaram terapia apresentaram maior pontuação neste item (p=0,025); e relação entre o tipo de escola freqüentada e a pontuação obtida nas questões 04 (p=0,031), 08 (p=0,048), 12 (p=0,017) e 22 (p=0,032), em que crianças que freqüentam escola regular apresentaram maior pontuação. Foi possível encontrar associação do grau de perda auditiva com a pontuação obtida nas questões 07 (p=0,004*) e 14 (p=0,032*), bem como com a pontuação no fator consciência auditiva (p=0,039*): quanto menor o grau de perda auditiva na melhor orelha, melhor foi o desempenho das crianças nestes itens. Foi possível encontrar associação entre escolaridade dos entrevistados e a pontuação obtida na questão 10 do instrumento (p=0,027*): quanto menor o grau de escolaridade dos pais, melhor foi o desempenho das crianças nesse item. Conclusão: A versão em português do questionário ABEL teve sua confiabilidade comprovada: mostrou reprodutibilidade e elevada consistência interna. Há relação entre a presença de histórico familiar, a realização de terapia fonoaudiológica e o tipo de escola freqüentada pelas crianças e a pontuação em itens específicos do questionário ABEL. Há associação entre o grau de perda auditiva e a pontuação do questionário em itens específicos e no fator de consciência auditiva. Os demais aspectos avaliados, bem como o escore total, não foram associados às variáveis investigadas na anamnese. Há associação entre a escolaridade dos entrevistados e um item do questionário ABEL.
Assunto Perda auditiva
Criança
Auxiliares de audição
Questionários
Hearing Loss
Child
Hearing Aids
Questionnaires
Idioma Português
Data 2011-02-22
Publicado em SOUZA, Marília Rodrigues Freitas de. Questionário ABEL – Auditory Behavior in Everyday Life: estudo da confiabilidade – consistência interna da versão brasileira e reprodutibilidade no teste-reteste. 2011. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2011.
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 112 p.
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/10001

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Retido-0019.pdf
Tamanho: 1.525Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)